A INCLUSÃO DOS IDOSOS NO MUNDO DIGITAL ATRAVÉS DAS NOVAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO (NTICs)

Maira Elisa Grassi de Sá, Vera Lúcia de Almeida

Resumo


Este estudo foi desenvolvido para conclusão do mestrado em Ciência da Educação, realizado na Universidad Americana, em Assunção, Paraguai, em 2010, cujo tema é o idoso e o mundo digital e para sua elaboração foram abordados três eixos: no primeiro eixo pesquisamos sobre a velhice e o mundo digital, onde foi realizada uma abordagem dos aspectos psicológicos, sociológicos e culturais que interferem na construção de vida das pessoas até a velhice em conjunto com a evolução da sociedade e com o mundo digital. No segundo eixo desenvolveram-se as questões voltadas à educação para inserção do idoso no mundo digital, aonde vimos à memória do indivíduo com o envelhecimento, as políticas públicas voltadas para a educação desta geração de idosos e que tipo de educação está sendo oferecida para eles. O terceiro eixo buscou a associação entre a melhoria da qualidade de vida do idoso e a sua inclusão no mundo digital. Os objetivos propostos neste estudo foram: investigar como as novas tecnologias da comunicação e informação (NTICs) interferem na inclusão dos idosos no mundo digital e quais são as mudanças que acontecem na qualidade de vida dos mesmos com esta inclusão. A pesquisa foi realizada em 2009 com idosos inseridos no Programa de Extensão - Grupo Raízes da Vida - do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Estado do Ceará em Fortaleza-Brasil. A amostra constou de 30 participantes que atenderam os seguintes critérios de inclusão: idosos matriculados na ginástica gerontológica com idade a partir de 60 anos e que estavam freqüentando aulas de informática, durante este ano. Os resultados analisados apontam que o grupo investigado tem uma predominância feminina (86,7%), com maioria na faixa etária de 60 a 69 anos (73,3%); a motivação mais relevante para utilizar as NTICs foi o desejo de atualização (73,3%); já as maiores dificuldades encontradas no uso das ferramentas tecnológicas foram: Caixa eletrônico – transferir dinheiro (44%); Computador – acessar a internet (26%); Celular – enviar mensagens (31,1%); TV a cabo – gravar programas (36,4%); DVD – mudar idioma (37%). As mudanças mais significativas na qualidade de vida foram: Computador – acesso à informação (38,9%); Celular – rapidez na comunicação (65%); TV a cabo – mais opções de canais (71%); DVD – utilizá-lo para o lazer (90%). Ao final desta pesquisa foi constatado que, apesar das dificuldades que o idoso apresenta em relação ao uso das ferramentas tecnológicas, sentir-se incluído no mundo digital é muito importante e significativo para a qualidade de vida desta crescente parcela da população.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.21439/conexoes.v6i1.467

Direitos autorais