CONHECIMENTOS DOCENTES DE LICENCIANDOS EM MATEMÁTICA NO ÂMBITO DA FORMAÇÃO E AÇÕES DESENVOLVIDAS NO PIBID DO IFCE CANINDÉ

Francisca Renata Silva Barbosa, Ana Cláudia Gouveia de Sousa, Luciana de Oliveira Souza Mendonça, Samara Moura Barreto Abreu

Resumo


A discussão acerca da formação de professores tem exigido inúmeras pesquisas, dentre elas destacam-se os temas acerca dos programas de formação inicial e continuada. Nisto entra em cena o Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência – PIBID, que objetiva inserir o licenciando em contato direto com a escola a partir da práxis permeada nas diversas atividades nas escolas parceiras do programa. Dentro desse contexto, o Subprojeto “Re-construindo conhecimentos matemáticos” do IFCE - Campus de Canindé apresenta-se como proposta de aperfeiçoamento dos futuros professores da área, tendo como premissa básica oportunizar ações formadoras que favoreçam o desenvolvimento de práticas pedagógicas, proporcionando a esses licenciandos uma postura reflexiva sobre o ensino e aprendizagem de matemática. Assim, o presente texto relata uma pesquisa que objetivou analisar os conhecimentos construídos e explorados pelos licenciandos em matemática do IFCE – Campus de Canindé mediante atuação no PIBID. Para responder ao problema central da pesquisa lançamos mão de uma abordagem qualitativa de investigação, realizando uma pesquisa de campo do tipo estudo de caso, através da aplicação de um questionário semiestruturado a 19 graduandos/bolsistas do PIBID, como instrumento de coleta de dados. A análise desses dados foi feita com base na análise de conteúdo, e tomou como aporte teórico principal a base de conhecimentos docentes de Shulman (1986; 2005). Diante da pesquisa os resultados apontam diversificados conhecimentos construídos e ressignificados pelos sujeitos investigados a partir da participação efetiva no PIBID da forma como realizado, materializando–o como significativo na apreensão dialética e reflexiva do ser e fazer docente.

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRÉ, M. E. D. A. Estudo de caso em pesquisa e avaliação educacional. Brasília: Líber Livro Editora, 2005.

BRASIL. Portal do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência – PIBID. Brasília: CAPES, 2008. Disponível em: < http://www.capes.gov.br/educacao-basica/capespibid >. Acesso em: 15 jan. 2015.

____. Portaria normativa n. 122, de 16 de setembro de 2009. Dispõe sobre o PIBID – Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência. Brasília: CAPES, 2009. Disponível em: < http://www.capes.gov.br/images/stories/download/bolsas/PortariaNormativa122_PIBID.pdf >. Acesso em: 15 jan. 2015.

____. Portaria Normativa n. 260, de 30 de dezembro de 2010. Normas gerais do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência - PIBID. Brasília: CAPES, 2010. Disponível em:< http://www.capes.gov.br/images/stories/download/legislacao/Portaria260_Pibid_301210_NomasGerais.pdf >. Acesso em: 15 jan. 2015.

____. Parecer CNE/CP 9/2001, de 08 de maio de 2001. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores da Educação Básica, em nível superior, curso de licenciatura, de graduação plena. Brasília: CNE, 2011.

____. Resolução n. 466, de 12 de dezembro de 2012. Diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Brasília: Ministério da Saúde, 2012. Disponível em: < http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/cns/2013/res0466_12_12_2012.html >. Acesso em: 20 set. 2015.

____. Resolução CNE/CP 2/2015, de 01 de julho de 2015. Define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação inicial em nível superior (cursos de licenciatura, cursos de formação pedagógica para graduados e cursos de segunda licenciatura) e para a formação continuada. Brasília: CNE, 2015.

CAPISTRANO, K. da S.; MACÊDO, L. N. de; MACÊDO, A. A. M. Importância do projeto pibid na formação docente inicial: estudo de caso com bolsistas do pibid/química/ifce quixadá. In: Anais do VII CONNEPI. Palmas: [s.n.], 2012. Disponível em: < http://propi.ifto.edu.br/ocs/index.php/connepi/vii/paper/view/2525/2294 >. Acesso em: 20 set. 2015.

CURI, E. A formação inicial para ensinar matemática: algumas reflexões, desafios e perspectivas. Rematec, Natal, v. 6, n. 9, p. 75 – 94, jul. 2011.

CURI, E.; PIRES, C. M. C. Pesquisas sobre a formação do professor que ensina matemática por grupos de pesquisa de instituições paulistanas. educaçãomatemática pesquisa. São Paulo, v. 10, n. 1, p. 151 – 189, 2008.

CYRINO, M. C. de C. T. Preparação e emancipação profissional do professor de matemática. In: NACARATO, A. M.; PAIVA, M. A. V. (Ed.). A formação do professor que ensina Matemática:

perspectivas e pesquisa. 1. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2008.

D’ÁGUA, S. V. N.; ANDRADE, M. M. Formação e trabalho docente demandas e desafios. In: OLIVEIRA, C.; MARIM, V. (Ed.). Educação Matemática Contextos e Práticas Docentes. Campinas: Alínea, 2010. p. 50 – 57.

GUERRA, I. C. Pesquisa qualitativa e análise de conteúdo: sentidos e forma de uso. São Paulo: Princípia, 2006.

HILGEMANN, C. M.; HAUSCHILD, C. A.; SCHMITT, F. E.; BERSCH, M. E.; FALEIRO, S. R.; GONZATTI, S. E. M. Vivências no pibid: contribuições à formação docente. In: HAUSCHILD, C. A.; HERBER, J.; KONRATH, A. R. (Ed.). Pibid/univates: articulando saberes e práticas entre universidade e escola. 1. ed. Porto Alegre: Evangraf, 2013. p. 31 – 40.

LIBÂNEO, J. C. Didática. São Paulo: Cortez, 1994. MENDES, I. A. Tendências metodológicas no ensino de matemática. Belém: EdUFPA, 2008. Disponível em: < http://www.ufpa.br/par/files/Modulos/vol41.pdf >. Acesso em: 15 set. 2015.

MIZUKAMI, M. das G. N. Aprendizagem da docência: conhecimento específico, contextos e práticas pedagógicas. In: NACARATO, A. M.; PAIVA, M. A. V. (Ed.). A formação do professor que ensina Matemática: perspectivas e pesquisa. 1. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2008.

PAIVA, M. A. V. O professor de matemática e sua formação: busca da identidade profissional. In: NACARATO, A. M.; PAIVA, M. A. V. (Ed.). A formação do professor que ensina Matemática: perspectivas e pesquisa. 1. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2008.

PIMENTA, S. G. Professor reflexivo: construindo uma crítica. In: PIMENTA, S. G.; GHEDIN, E. (Ed.). Professor reflexivo no Brasil: gênese e crítica de um conceito. 7. ed. São Paulo: Cortez, 2012.

PIMENTA, S. G.; LIMA, M. S. L. Estágio e docência. 6. ed. São Paulo: Cortez, 2011. Revisão técnica José Cerchi Fusari. Coleção docência em formação. Série saberes pedagógicos.

RIBEIRO, S. S. Percepções de licenciandos sobre as contribuições do PIBID - Matemática. Dissertação (Mestrado Profissional em Educação) — Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2013. 212 p.

SACRISTÁN, J. G. Consciência e acção sobre a prática como libertação profissional dos professores. In: NóVOA, A. (Ed.). Profissão Professor. Porto, Portugal: Porto editora, 1999.

SCHÖN, D. A. Educando o profissional reflexivo: um novo design para o ensino e a aprendizagem. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 2000. Tradução Roberto Cataldo Costa.

SHULMAN, L. S. Those who understand: knowledge growth in teaching. Educational Research, v. 15, n. 2, p. 4 – 14, 1986. Disponível em: < http://www.fisica.uniud.it/URDF/masterDidSciUD/

materiali/pdf/Shulman_1986.pdf >. Acesso em: 20 jan. 2015.

____. Profesorado. Revista de currículum y formación del profesorado, v. 9, n. 2, p. 4 – 14, 2005. Disponível em: < http://www.ugr.es/~recfpro/rev92ART1.pdf >. Acesso em: 26 jan. 2015.




DOI: https://doi.org/10.21439/conexoes.v9i4.992