Influência de um Projeto Não Governamental na Educação Ambiental Formal e Informal: O Caso do Projeto Algas, Cultivando Sustentabilidade

Emanoel Rodrigues Moura, Cristiane Maria Sampaio Forte, Andréa Pereira Silveira

Resumo


Ações de Educação Ambiental formal e informal não são mutuamente excludentes, embora na prática predominem abordagens segregadas. Por isso, nosso objetivo foi saber se um projeto não governamental de atividades sustentáveis e com fundamentos na educação ambiental influencia na sensibilização ambiental de estudantes da escola local. Nossa hipótese é que os alunos da Escola Fortunato Severiano da Costa (Escola B –EB), situada na comunidade de Flecheiras local de desenvolvimento do projeto “Algas: Cultivando Sustentabilidade”, são mais sensíveis a questão ambiental do que a dos alunos da escola Raimundo Nonato Ribeiro (Escola A – EA), situada na sede do município de Trairi-Ceará, onde não existe nenhum projeto com estas qualificações. Selecionamos 35 alunos da EA e 33 alunos da EB, das turmas de 3º ano do ensino médio para este estudo de caso. Utilizamos um questionário com 13 questões objetivas divididas em três tópicos: hábito diário, consumo responsável e conhecimentos ambientais. Diferente do esperado, não registramos uma sensibilização superior dos alunos da EB em relação aos alunos da EA, pois as porcentagens das respostas elencancas nos três tópicos foram semelhantes. Essa semelhança pode i) ser resultado de um trabalho de conscientização escolar superior na EA, visto que 69% dos alunos obtem informações ambientais na EA, em comparação com os 38% da EB e/ou ii) ser reflexo de uma abrangência do projeto algas fora dos limites da comunidade. As duas explicações são plausíveis e devem atuar conjuntamente, resultando em níveis de sensibilização ambiental elevados e semelhantes entre os alunos das duas escolas investigadas.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.21439/conexoes.v11i4.955