Estudo do Processo de Degradação de Resíduos Sólidos Orgânicos (Restos de Alimentos) em Lisímetro de Pequeno Porte

Gemmelle Oliveira Santos, Breno de Oliveira Matos

Resumo


O objetivo desta pesquisa foi estudar o processo degradativo de resíduos orgânicos (especificamente restos de alimentos) por meio do monitoramento da temperatura, geração de lixiviado e recalques em lisímetros de pequeno porte. O experimento envolveu a utilização de dois tambores metálicos de 200 litros cada, preenchidos com 150 Kg de restos de alimentos e devidamente equipados para medição dos três parâmetros escolhidos. No lisímetro 1, a maior temperatura interna foi 42,7ºC e a menor foi 24,4ºC. No lisímetro 2, a maior temperatura foi 45,7ºC e a menor 25,7ºC. A freqüência de temperaturas internas maiores que as externas ocorreram predominantemente no meio do período de monitoramento, ficando claro que a massa de resíduos passou por três fases de degradação: primeira (ajuste inicial), segunda (degradação ativa) e terceira (maturação). O lisímetro 1 gerou 11.265mL de lixiviado enquanto que o lisímetro 2 gerou 13.751mL. O lisímetro 1 gerou aproximadamente 0,075 litros (L) de lixiviado por quilograma (Kg) de resíduo (restos de alimentos). O lisímetro 2 gerou aproximadamente 0,092 L/Kg. Na primeira semana do monitoramento os lisímetros 1 e 2 apresentaram recalques (média de cinco medições) de 6,3 e 7,4 cm, respectivamente. Na última semana, os recalques foram 12,5 cm (lisímetro 1) e 17,3 cm (lisímetro 2), sendo mais bruscos no início do monitoramento, concordando com a literatura. Os resultados permitiram concluir que o experimento se mostrou adequado, de baixo custo e sensível para medição dos processos físicos relacionados à degradação dos restos de alimentos, permitindo entender, de certa forma, o que ocorre nos aterros sanitários.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.21439/conexoes.v11i4.913