Variabilidade Espacial da Umidade e das Frações Granulométricas do Solo em um Plantio de Bananeiras Irrigado no Semiárido Pernambucano

Renato Augusto Soares Rodrigues, Abelardo Antônio Assunção Montenegro, Daniella Pereira dos Santos, Adriana Guedes Magalhães, Robertson de Paiva Fontes Júnior

Resumo


A vegetação afeta significativamente a dinâmica de umidade do solo, tanto diretamente como por meio da interação com outros fatores, por exemplo, a textura do solo. A distribuição espacial da textura no terreno usualmente apresenta dependência espacial com a direção e a intensidade dos fluxos de água, que são dependentes das formas de relevo. Devido à importância da umidade e da textura do solo para a produção agrícola, principalmente em regiões semiáridas, o objetivo deste trabalho foi avaliar a variabilidade espacial da umidade e da textura do solo, em lote irrigado, na Bacia Experimental do Rio Ipanema, localizada no município de Pesqueira-PE. O estudo foi realizado na Fazenda Mimosa, localizada no distrito de Mimoso, município de Pesqueira, região agreste de Pernambuco. A umidade do solo foi medida utilizando um equipamento de “Time Domain Reflectometry” (TDR) em malha regular, espaçada de 8 x 4 m, totalizando 104 pontos. A amostragem de solo foi realizada em malha regular, espaçada de 8 x 8 m, totalizando 48 pontos. Os dados foram submetidos à análise estatística descritiva e geoestatística. O modelo de semivariograma que apresentou o melhor ajuste foi o exponencial para todas as variáveis analisadas. As variáveis estudadas apresentaram estrutura de dependência espacial, o que permitiu seu mapeamento, utilizando-se geoestatística. A estrutura de dependência espacial possibilitou observar a distribuição da umidade e da textura do solo, na área de estudo.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.21439/conexoes.v11i3.884