MATERIAL DIDÁTICO IMPRESSO VERSUS MATERIAL DIDÁTICO DIGITAL: O QUE DIZEM OS ALUNOS DOS CURSOS SEMIPRESENCIAIS DO IFCE

Márcia Roxana da Silva Regis, Iraci de Oliveira Moraes Schmidlin, Karine Nascimento Portela, Lívia Maria de Lima Santiago

Resumo


Este artigo analisa a preferência dos alunos dos cursos semipresenciais de graduação e pós-graduação do Instituto Federal do Ceará (IFCE) quanto aos materiais impressos e digitais disponibilizados. O objetivo geral é refletir, a partir dos resultados apresentados na pesquisa, sobre a importância dos materiais impressos para os alunos que estudam na modalidade de educação a distância. Para a coleta dos dados, foi aplicado um questionário entre os alunos, apurando a preferência deles quantos aos formatos impresso e digital do material. A pesquisa identificou que, apesar das possibilidades proporcionadas pelas tecnologias da informação e comunicação, o material impresso ainda é uma alternativa necessária para a EaD, principalmente para os alunos dos cursos de graduação, que são, em grande parte, desprovidos do acesso frequente à internet ou até mesmo de aparatos tecnológicos. A pesquisa pretende contribuir, essencialmente, para elucidar a relevância que os materiais didáticos têm, independentemente do formato, para o processo de ensino-aprendizagem em cursos ofertados na modalidade de EaD.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.21439/conexoes.v9i2.734