AVALIAÇÃO DE MODELO DE ESTIMATIVA DA RADIAÇÃO SOLAR GLOBAL (Rs) COM BASE NA AMPLITUDE TÉRMICA

Éder Ramon Feitoza Lêdo, Mairton Gomes da Silva, Dijauna Honório Nogueira, Francisco Dirceu Duarte Arraes

Resumo


A radiação solar global constitui-se uma importante variável meteorológica em estudos de necessidade hídrica de culturas irrigadas, modelagem do crescimento e produção vegetal, mudanças climáticas, entre outros, sendo que na ausência de dados observados de Rs é possível estimá-los mediante a utilização de modelos matemáticos. O trabalho teve como objetivo estimar a radiação solar global a partir de dados de temperaturas máximas e mínimas utilizando-se do modelo proposto por Hargreaves & Samani em Barbalha-CE. Utilizou-se de dados meteorológicos de temperatura máxima e mínima do ar e radiação solar global, provenientes da estação meteorológica automática de Barbalha-CE, localizada a latitude de 7º 18’ S, longitude 39º 16’ W e altitude de 409 m, pertencente à rede de observações meteorológicas de superfície do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET). O desempenho do método de Hargreaves & Samani nas estimativas de radiação solar diária com coeficiente de ajuste fixo (Kr = 0,16) e estimado foi avaliado através dos seguintes indicadores estatísticos: coeficiente de determinação (R2), índice de precisão (r), índice concordância ou exatidão (d) e índice de confiança ou desempenho (c). Os resultados obtidos da radiação solar estimada em relação aos valores medidos foram: “r” de 0,56, “R²” de 0,31, “d” de 0,61 e “c” de 0,34, sendo classificado como “Péssimo”, com Kr de 0,16 e para o Kr estimado os dois primeiros índices estatísticos foram semelhantes, com um aumento para o “d” (0,64) e “c” (0,36), porém com a mesma classificação. O emprego do modelo analisado mostra-se inviável para a estimativa da radiação solar para as condições climáticas da localidade em estudo, independente do coeficiente de ajuste.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.21439/conexoes.v6i1.478