REESTRUTURAÇÃO PRODUTIVA E FORMAÇÃO PROFISSIONAL: O CASO DO PROEJA DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO CEARÁ

Ana Claúdia Uchoa Araújo, Gina Maria Porto de Aguiar, Maryland Bessa Maia, Roberia Rodrigues Lopes

Resumo


O presente artigo de natureza teórica tem por objetivo central discutir o Programa Nacional de Integração da Educação Profissional com a Educação Básica, na modalidade de Educação de Jovens e Adultos (PROEJA), do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE), discute também o papel central assumido pela educação profissional neste cenário de (re)qualificação dos trabalhadores. As exigências do mercado em decorrência do processo de reestruturação produtiva, desencadeado a partir das décadas de 1970/1980 e efetivado na década de 1990 com o surgimento do modelo produtivo toyotista, impulsionam o surgimento de um novo paradigma educativo que tem, na centralidade da formação a incorporação de competências e habilidades exigidas no universo do capital. Desta forma, o processo de escolarização básica mostra-se como uma ferramenta ideológica, eficiente, para a produção de um trabalhador “competente” para o mercado. Neste sentido, para realizarmos tal análise, iniciaremos um percurso histórico do processo de reestruturação produtiva e suas implicações no campo da educação, para, a partir daí, compreendermos a origem do IFCE e a implantação do PROEJA.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.21439/conexoes.v4i2.364