ARARUTA: HISTÓRICO, BOTÂNICA, PROCESSAMENTO E APLICABILIDADE

Luana Cavalcante Gonçalves da Silva, Vinícius Quintino Lavor Andrade, Alessandra Pinheiro de Góes Carneiro, Eveline de Alencar Costa, Luís Eduardo Sobral Fernandes

Resumo


A araruta já foi amplamente cultivada no Brasil pelos povos indígenas e pela agricultura familiar, mas o seu cultivo caiu perante a concorrência de outras espécies de finalidade semelhante, como a mandioca e a batata. Esta queda no cultivo implica riscos de extinção da araruta, o que motivou a presente pesquisa, desenvolvida por meio de revisão bibliográfica, que mostrou algumas oscilações quanto à frequência do uso da araruta, tanto no cotidiano quanto na indústria. A araruta é presente na cultura alimentar do Ceará e era utilizada por tribos ameríndias, utilizando sempre dos seus efeitos benéficos no tratamento de enfermidades. Atualmente, ela apresenta relevância nos setores têxtil, farmacêutico, químico e, principalmente, alimentício, podendo ser usada como espessante, geleificante e substituta de gorduras. Além disso, a ausência de glúten na sua composição, permite a sua inserção na dieta de celíacos.

Palavras-chave


Agricultura familiar. Fécula. Gastronomia. Biodiversidade.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.21439/conexoes.v16i0.2198

Direitos autorais 2022 Conexões - Ciência e Tecnologia