ANÁLISE DO SISTEMA DE ENERGIA FOTOVOLTAICA DO INSTITUTO FEDERAL DO CEARÁ – CAMPUS MARACANAÚ E SUA COLABORAÇÃO NA REDUÇÃO DA EMISSÃO DE CO2

Jéssica Santos de Araújo

Resumo


A energia solar fotovoltaica vem ganhando destaque no cenário mundial devido ao aumento das demandas energéticas e a busca de alternativas de energia limpa. Em razão dos problemas ambientais decorrentes do consumo de energia derivada de fontes poluentes e não renováveis, surge a necessidade de diversificar as matrizes energéticas. Dentro desse contexto, alguns municípios e empresas do Ceará já buscam ações para produção de energia limpa. Este artigo tem como objetivo analisar o sistema de energia fotovoltaica do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará - Campus Maracanaú e sua colaboração na redução da emissão de CO2. Para o cálculo da quantificação das emissões de CO2 evitadas a partir da instalação do sistema de energia fotovoltaica no Campus foi realizado o levantamento de dados in loco e utilizada a equação fornecida pelo Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC). Verificou-se que, desde a sua instalação, que o sistema produziu uma potência de 48,67 MWh, gerando redução de emissões de CO2 de 20,07 toneladas de 2015 a 2020, equivalente ao que seria emitido em matrizes não renováveis. Conclui-se que o sistema contribui para uma redução significativa de CO2 no município e espera-se que este estudo seja referência para que gestores do setor público e privado invistam em alternativas que possam diversificar a matriz energética brasileira.

Palavras-chave


Energia Renovável; Energia Solar; Redução de CO2; Sistemas Fotovoltaicos

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.21439/conexoes.v16i0.2168

Direitos autorais 2022 Conexões - Ciência e Tecnologia