O LUGAR PERMACULTURAL E A RESTAURAÇÃO NO CICLO ALIMENTAR

Hermano José Maia Campos Filho, Fábio de Oliveira Matos

Resumo


No presente ensaio, busca-se demonstrar as possibilidades da Permacultura em relação aos modos convencionais de produção e consumo de alimentos, como aqueles praticados pela lógica do agronegócio, das monoculturas e dos cultivos transgênicos, bem como os riscos de modos de cultivo não integrados em reservas extrativistas. Os princípios e as éticas da Permacultura apresentam-se como insumos criativos à disseminação de soluções e práticas de relação natural com o espaço. Este olhar alternativo é aqui proposto como lugar permacultural, que reúne valores, como autossuficiência, autogovernança e emancipação, representando uma semente de restauração nos ciclos alimentares. Como exemplo de lugar permacultural, apresenta-se o desenho permacultural e as soluções encontradas no Sítio Floresta, localizado no município de Eusébio, Ceará. Assim, demonstra-se que as pessoas que vivenciam a Permacultura em seu ambiente a escolheram como prática de criatividade e liberdade para interagir com a natureza na cultura da vida. Entende-se como lugar permacultural, o lugar que contém uma lógica natural na busca de um sentido de existir e agir no mundo e no espaço em que se habita.

Palavras-chave


Permacultura; Lugar permacultural; Ecogastronomia; Ciclo alimentar

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.21439/conexoes.v15i0.2038

Direitos autorais 2021 Conexões - Ciência e Tecnologia