ESTUDO DA REMOÇÃO DE NITRATO EM FASE AQUOSA UTILIZANDO ARGILA MONTMORILONITA E SÍLICA GEL MODIFICADA

Patrícia Marques Carneiro Buarque, Eduarda Maria Farias Silva, Karyna Oliveira Chaves de Lucena, Mayara de Sousa Oliveira, Gleiciely Lima Domingos, Jéssica Beserra Alexandre, Célia Cristina Moraes Ferreira

Resumo


Atividades humanas como a disposição inadequada de resíduos líquidos e sólidos, uso desenfreado de fertilizantes e a utilização de combustíveis fósseis, tem promovido alterações no ciclo natural do nitrogênio. A presença desse composto nos seus diferentes estados de oxidação é indicativo de contaminação em corpos hídricos e de possíveis condições sanitárias insatisfatórias. Assim, este estudo avaliou o uso potencial de uma nanoargila montmorilonita modificada com aminopropiltrietoxisilano e octadecilamino e de uma sílica gel modificada com 3-aminopropiltrietoxisilano como adsorventes para a remoção do ânion nitrato a partir de soluções aquosas sintéticas. Para isso, utilizou-se soluções sintéticas contendo 20 mg/L de nitrogênio na forma de nitrato (NO3- -N), a fim de comparar as porcentagens de remoção obtida com os materiais em estudo. A caracterização do melhor adsorvente foi realizada utilizando uma estimativa da carga da superfície do material, o Ponto de Carga Zero (PZC), com faixa de pH variando entre 1 e 12. Foram realizados ensaios para avaliar o efeito da dosagem do adsorvente (com massas de 50, 100, 150, 200, 250 e 300 mg) e efeito do pH (2, 4, 6, 8 e 10). Os resultados revelaram que a argila obteve maior eficiência de remoção. O pH ácido foi o mais favorável para a adsorção de nitrato na argila aminofuncionalizada. As remoções da nanoargila selecionada chegaram a aproximadamente 70% em determinadas condições experimentais, dessa forma é possível constatar que argilas aminofuncionalizadas podem ser utilizadas como adsorventes na remoção de nitrato de águas.

Palavras-chave


Poluição Ambiental; Tratamento de Água; Ânion Nitrato; Sorção; Adsorventes Minerais.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.21439/conexoes.v14i1.1818