USO DE GALACTOMANANA DA SEMENTE DE Caesalpinia pulcherrima NO REVESTIMENTO DE CENOURA MINIMAMENTE PROCESSADA

Georgia Maciel dias de Moraes, Aurelice de Assis Lima, Andrea Teixeira Cardoso Freitas

Resumo


Sabendo que o tempo de vida útil dos vegetais minimamente processados é reduzida, e por isso, afim de manter as características de qualidade do produto, muitos estudos estão focados em revestimento comestíveis à base de biopolímeros. O objetivo deste trabalho foi avaliar a vida útil da cenoura (Dacus carota) minimamente processada e revestida com galactomanana extraída da semente de Caesalpinia pulcherrima. As cenouras foram higienizadas, descascadas e cortadas em rodelas com espessura de 1cm. Foram obtidas as seguintes amostras: Cenoura controle (CC), cenoura revestida com 0,53% de galactomanana (C1), cenoura revestida com 1,03% de galactomanana (C2), onde foram acondicionadas em bandejas Poliestireno Expandido, recoberta com filme PVC e mantido sob refrigeração (6± 2°C). Foram realizadas análises de acidez, pH, umidade, textura, vitamina C, sólidos solúveis totais em °Brix, cor e avaliação visual, nos tempos 2, 7 e 9 dias após o processamento. De acordo com os resultados obtidos, a concentração de 1,03% de galactomanana utilizada como revestimento, apresentou maior eficiência na manutenção dos parâmetros analisados, ao longo do período estudado. Dessa forma conclui-se que a utilização de revestimento a 1,03% à base de galactomanana demonstra-se como uma ótima alternativa de conservação, em virtude da redução das alterações fisiológicas e consequente expansão da vida pós-colheita da cenoura.

Palavras-chave


Vida de prateleira; Vegetais; Qualidade.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.21439/conexoes.v14i1.1814