OS ASPECTOS SOCIOECONÔMICOS DO MANGUEZAL DO RIO COREAÚ E SUA RELAÇÃO COM A SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL

Caroline Vitor Loureiro, Camila França de Oliveira

Resumo


Os manguezais, por sua relevância socioambiental e socioeconômica, requerem estudos que avaliem os impactos desencadeados pela ação antrópica com vias a manutenção de uma relação sustentável. Nesse contexto, considerando o manguezal do Rio Coreaú, pois o mesmo desempenha importante função na manutenção da zona estuarina do município de Camocim, além de ter relação direta com a economia local, buscamos avaliar como vem se dando esse processo. O manguezal do Rio Coreaú, segundo a SEMACE (2004), é a segunda maior área de manguezal do estado do Ceará, possuindo 35,3km², fato que reforça a necessidade da realização de estudos nesta área, pois impactos sobre ele podem ter repercussão em mais de um município, principalmente no que se refere aos processos erosivos. Para isso, verificamos os principais impactos que a relação dos moradores de Camocim com esse ambiente vem desencadeando, e sugerimos ajustamentos dos usos do mesmo visando a manutenção do equilíbrio ambiental e social pautado na lógica da sustentabilidade ambiental. Para tal, foram realizados estudos bibliográficos acerca da temática, visitas in loco, tanto por via terrestre como fluvial, avaliação de imagens de satélite da área e estudo documental sobre as atividades econômicas associadas a esse ecossistema, sendo assim um estudo de caso com abordagem de análise qualitativa. Os resultados apontaram que a população possui estreita relação com o manguezal (expansão urbana, lazer/turismo, extrativismo/pesca e atividades de carcinicultura e salineira), porém esta necessita de ajustamentos, monitoramento e fiscalização.

Palavras-chave


Ecossistema manguezal; Camocim; Sustentabilidade.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.21439/conexoes.v13i5.1812