ESTUDO DA DILUIÇÃO DE ÁGUA PLUVIAL EM ESGOTO TRATADO PARA REUSO INTEGRADO NA JARDINAGEM DO IFCE- INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO CEARÁ. CAMPUS: JUAZEIRO DO NORTE

José Lima de Oliveira Júnior, Erika Romana Gomes, Débora Nery de Souza, Saionara Alexandre da Silva

Resumo


O aumento da demanda hídrica regional em virtude da metropolização da região do cariri Cearense é preocupante. Diante disso, foi desenvolvida uma pesquisa de caráter experimental, com estudo de caso, entre 2007 e 2009 que analisou a eficiência da diluição na água de chuva de efluente tratado em decanto digestores seguidos de filtros anaeróbios, o balanço hídrico da quantidade de água pluvial a captar, as restrições da diluição pela freqüência de aguação, o potencial hidrometeorológico e tamanho das cisternas, para fins de reuso no campus do IFCE de Juazeiro do Norte. Este trabalho justifica-se pela necessidade de minimizar a exploração do manancial subterrâneo super-explorado, aplicando água reciclada em usos menos nobres com a conseqüente liberação da água de qualidade para uso potável no campus universitário do Instituto Federal Ceará – Campus Juazeiro do Norte. O estudo mostrou que a diluição do efluente minimizou expressivamente os principais parâmetros limitantes ao reuso. A DBO afluente e efluente média do sistema foi de 76,77mg/L e 27,57 mg/L ficando, para as diluições propostas abaixo da restrição de 30mg/L com eficiências médias totais de 94,79%, 88,68% e 79,20% respectivamente para as diluições 25%E/75%AC, 50%E/50%AC e 75%E/25%AC (E= efluente; AC= água de chuva). Para os Sólidos totais suspensos os valores médios afluentes e efluente foram da ordem de 131,73 mg/L e 13,70 mg/L com diluição em água de chuva nas proporções de 25%E/75%AC, 50%E/50%AC e 75%E/25%AC e eficiências de remoção respectivas de 94,44%, 91,31% e 88,97%. Quanto ao teor de Sódio a remoção média foi de 57,09%, 52,71% e 17,75% respectivamente para as proporções de diluição 25%E/75%AC, 50%E/50%AC e 75%E/25%AC. Para Cloreto os valores médios de eficiência de remoção foram respectivamente de 73,42 %, 52,27 % e 29,80 % nas diluições de 25E/75AC, 50E/50AC, e 75E/25AC, mostrando o uso promissor da água de chuva como elemento de diluição minimizador do passivo ambiental disposto no solo pela prática do reuso de águas residuárias.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.21439/conexoes.v5i2.179