IMPACTO DA MATRIZ CURRICULAR VIGENTE PARA OS CURSOS TÉCNICOS EM AQUICULTURA DO IFCE: ESTUDO DE CASO NO CAMPUS ARACATI

Glacio Souza Araujo, EDUARDO DE LIMA MELO

Resumo


O presente trabalho visa avaliar o levantamento dos discentes do Curso Técnico em Aquicultura do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia – IFCE, campus Aracati, comparando os dados de duas matrizes curriculares, uma anterior (utilizada desde o semestre de 2011.2 até 2014.1) e outra vigente (utilizada a partir de 2014.2), sendo esta unificada para os Cursos Técnicos dos campi Acaraú, Aracati e Morada Nova, através de dados obtidos do sistema acadêmico. Os dados são importantes para realizar possíveis ajustes na matriz curricular vigente e adequá-la à situação atual da aquicultura na região, visando também à permanência e ao êxito dos discentes, bem como ao sucesso profissional deles. Foi observado que a forma de ensino atual (concomitante) não é eficiente devido a menor demanda de público e aprendizado. Os discentes, apesar de serem adolescentes ainda, estão estudando o técnico e o médio juntos, mas não conseguem ter efetivo aprendizado nem no curso técnico nem no ensino médio, dedicando-se muitas vezes a este último e abandonando aquele. Até o semestre 2014.1, foram formadas seis turmas, com 35 discentes concludentes ou concluídos comparado com duas turmas formadas e 23 discentes concludentes ou concluídos. O Curso Técnico em Aquicultura do IFCE – campus Aracati, utilizando a matriz curricular vigente até o semestre de 2014.1, apresentou apenas 5,83 discentes concludentes/concluídos por turma em comparação a 11,50 alunos concludentes/concluídos – quando passou a funcionar com a nova matriz aprovada para 2014.2, mostrando, portanto, um melhor desempenho dos discentes, que pode aumentar ainda mais através de pequenos ajustes.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.21439/conexoes.v14i4.1531