TRATAMENTO BIOLÓGICO DE EFLUENTES DE INDÚSTRIA PETROQUÍMICA EM REATORES EM BATELADA COM BIOMASSA DISPERSA E IMOBILIZADA DE Aspergillus niger AN 400

Eloiza Pinheiro Damasceno, Zuleika Bezerra Pinheiro, Rinaldo dos Santos Araújo, Germana Maria Marinho Silva, Kelly Rodrigues, Glória Maria Marinho Silva Sampaio

Resumo


O refino do petróleo acarreta a geração de uma quantidade significante de resíduos potencialmente poluidores. Ao serem lançados em corpos d’água, os efluentes das indústrias petrolíferas provocam desequilíbrio no ambiente, por transportarem compostos de difícil degradação. No intuito de minimizar os impactos causados pelos despejos dos efluentes desta atividade industrial, torna-se prioritário estudar a biodegradabilidade e a toxicidade de tais resíduos. O objetivo deste trabalho foi estudar a remoção de fenol de água residuária de uma refinaria de petróleo por Aspergillus niger AN400 em reatores em batelada sem agitação e com aeração artificial. Para o estudo foram utilizados quatro reatores, sendo: um de controle (C), contendo apenas o efluente, dois reatores contendo o efluente mais a biomassa fúngica dispersa (F), sendo um deles acrescido de açúcar refinado na concentração de 0,5 mg/L (FA), e um quarto reator contendo efluente e biomassa fúngica imobilizada (FiA), adicionado de 0,5 mg/L de açúcar refinado. Os tempos de reação investigados correspondem a períodos de 12 horas, 2 dias, 4 dias, 8 dias, 14 dias, 18 dias, 23 dias e 29 dias. Para o acompanhamento do processo foram analisadas as variáveis de: demanda química de oxigênio, fenol, pH e sólidos suspensos voláteis. Os resultados mostraram que o fenol não foi detectado no efluente bruto da indústria petroquímica, por meio do método descrito em Merck (1972) enquanto o pH manteve-se entre 7,5 e 8,5 para todos os tempos de reação estudados. Todos os reatores, com exceção do controle, apresentaram remoção significativas de DQO, correspondentes a 82% no reator FiA, 85% no reator FA, e 95,5% no reator F. Oportunamente, o emprego da espécie Aspergillus niger AN400 sinaliza como uma tecnologia viável para o tratamento de efluentes de indústria petroquímica.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.21439/conexoes.v1i1.138