ADSORÇÃO DE FENOL E NITROFENÓIS EM SOLUÇÃO AQUOSA USANDO BAGAÇO DE COCO COMO ADSORVENTE

Maria Ionete Chaves Nogueira, Mayara de Sousa Oliveira, Ivan Barros de Oliveira Júnior, Hugo Leonardo B. Buarque, Rinaldo dos Santos Araújo, Ronaldo Ferreira do Nascimento

Resumo


A utilização do fenol e de derivados fenólicos na síntese de diversos produtos torna sua presença freqüente em efluentes de diversas indústrias. A apreciável solubilidade desses compostos em água, aliada à sua alta reatividade e baixa capacidade de biodegradação (recalcitrantes) faz destes compostos substâncias potencialmente tóxicas à natureza e inclusão na lista de poluentes prioritários a serem monitorados no ambiente aquático. Dentre os vários métodos propostos na literatura para o tratamento de efluentes contendo compostos fenólicos, a adsorção utilizando adsorventes de baixo custo vem se destacando, constituindo processo alternativo para evitar que os mesmos cheguem aos corpos receptores. Neste trabalho estudou-se a eficiência do bagaço de casca de coco na remoção de fenol, 2-nitrofenol e 4-nitrofenol em meio aquoso. Isotermas de equilíbrio e curvas cinéticas de adsorção à temperatura ambiente, foram obtidas para o bagaço in natura e para o bagaço modificado quimicamente por tratamento com HCl. A concentração dos compostos fenólicos foi monitorada por cromatografia líquida de alta eficiência. Os dados experimentais mostraram percentuais médios de remoção mais favoráveis para o bagaço quimicamente modificado com valores de remoção de 43,5 % para o 2-nitrofenol, 35,4 % para o 4-nitrofenol e 20,9% para o fenol comum. A modelagem do equilíbrio segundo a isoterma de Freundlich foi satisfatória (R2 > 0,96) e caracteriza sistemas superficiais adsorventes moderadamente heterogêneos.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.21439/conexoes.v1i1.135