AVALIAÇÃO DA QUALIDADE MICROBIOLÓGICA DE ÁGUA SUBTERRÂNEA PROVENIENTE DE POÇOS DA REGIÃO METROPOLITANA DE FORTALEZA, CEARÁ

Antonia Diana Alves Bezerra, Raianna de Oliveira Araujo, Francisco Gabriel Dias Mota Araújo, Elcivania Rodrigues Nogueira, Maíra Gadelha Alves Brandão, Lydia Dayanne Maia Pantoja

Resumo


O abastecimento público com água de qualidade é uma medida essencial à saúde, uma vez que a água pode atuar como veículo de agentes patogênicos oriundos de fezes humanas e animais. Uma das formas de identificação de tais contaminações se dá a partir do monitoramento da presença de Escherichia coli que é utilizada como padrão microbiológico preconizado pela Portaria 2.914/2011 do Ministério da Saúde, este estabelece como própria para consumo humano a água ausente de Escherichia coli em 100 mL da amostra. Desta maneira o objetivo deste estudo foi avaliar a qualidade microbiológica de água subterrânea proveniente de poços da Região Metropolitana de Fortaleza–CE. Para tanto foram analisadas 44 amostras oriundas das cidades de Fortaleza, Aquiraz, Horizonte, São Gonçalo do Amarante, Maracanaú, Pindoretama, Eusébio e Caucaia–CE. As amostras coletadas foram analisadas por profissionais do laboratório da Superintendência Estadual do Meio Ambiente – SEMACE, que adotaram a Técnica dos Tubos Múltiplos com meio de cultura A-1. Das 44 amostras analisadas 40,9% foram positivas para Escherichia coli, estando assim em desacordo com o padrão estabelecido pela legislação nacional em vigor. O consumo de água fora do padrão de potabilidade põe em risco a saúde da população, desta forma os resultados obtidos alertam para a necessidade de monitoramento das águas subterrâneas da Região Metropolitana de Fortaleza–CE, como medida preventiva contra doenças de veiculação hídrica.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.21439/conexoes.v14i2.1288