Emergência e Crescimento Inicial de Plantas de Girassol Submetidas a Diferentes Concentrações de Percolado de Aterro Sanitário

Francisco Holanda Nunes Junior, Franklin Aragão Gondim, Brennda Bezerra Braga, Rifandreo Monteiro Barbosa, Paulo Ovídio Batista de Brito

Resumo


Encontrar uma destinação correta para o percolado gerado nos aterros sanitários é hoje uma das principais problemáticas da geração de resíduos sólidos urbanos. Seu uso na agricultura surge como uma possibilidade. No entanto, são necessários estudos que verifiquem essa viabilidade, bem como os possíveis efeitos fitotóxicos do percolado. Diante disso, o presente trabalho analisou os efeitos da utilização de diferentes concentrações de percolado de aterro sanitário sobre o percentual de emergência (%E), índice de velocidade de emergência (IVE) e crescimento inicial de plântulas de girassol, por meio de análises da produção de matéria fresca total (MFT), matéria seca total (MST) e teores relativos de clorofila. O experimento foi conduzido em casa de vegetação localizada na cidade de Maracanaú, Ceará, Brasil, nos meses de janeiro e fevereiro de 2015. O delineamento experimental foi o inteiramente casualizado, com seis tratamentos (0; 20; 40; 60; 80 e 100 kg N ha−1 ), com cinco repetições de cada tratamento e dois tempos de coleta. Nas condições experimentais empregadas, verificou-se que as diferentes concentrações de percolado de aterro sanitário não interferiram no %E das plântulas de girassol. Os valores de MST e teores relativos de clorofila evidenciaram a possibilidade de aplicação do percolado como fonte de nutrientes para plântulas de girassol.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.21439/conexoes.v10i5.1161